Monday, October 05, 2009

There wasn't.

E de repente, assim, no nada, eu resolvo voltar da terra dos mortos direto para as minhas noites com tigres de bengala, senhores mexicanos e gremistas semi gaúchos.
Queria água, alguém me passou uma garrafa de vinho e começamos por ai.
Já acho que fomos longe demais com isso tudo. Hoje em dia as pessoas se matam, matam umas as outras ou pior, não vivem, e era o que eu estava fazendo, então que se foda essa merda toda. Você só não pode ser bonzinho; se você sai por ai dizendo que ama o mundo ninguém vai te amar de volta, as pessoas só te amam quando você é um bêbado, uma puta ou todas essas coisas juntas sabe? Fumar é como se você acendesse uma plaquinha na sua cara dizendo “ei! eu preciso de amigos”.
As pessoas às vezes têm menos de 20 anos e eu já havia esquecido que isso podia acontecer, portanto me choquei quando percebi que algumas pessoas têm apenas 17 anos e sabem exatamente o que querem da vida; “que merda” pensei, quando ele me disse que já esteve fora, já viveu, já foi confundido com um judeu ortodoxo e eu com mais idade do que ele estava questionando o sentido da vida dentro do meu quarto, ou pior, levantando 30 quilos numa academia idiota, enquanto outras pessoas levantam o mesmo, mais ou menos peso, mas não dão a mínima pra nada disso. Só quem sabe viver é a Courtney Love e a Mirella.
Homens bonitos só falam merda, meninos novinhos acham que falam coisas boas, só o Thiago sabe ser inteligente nessas horas e de repente um segurança de super mercado resolve fazer o seu papel, mas infelizmente tromba com um bando de bêbados informados de que ele não podia tocar em ninguém e bem foi agressão; mas sobre o que estávamos falando mesmo? Ah, estávamos cantando Beyoncé.
Hora de reavivar os mortos: Guns N Roses, Foo Fighters, Strokes e o caralho a quatro! Ah como eu amava essas coisas, e foi bom ver que eu ainda amo. Um dia terei pernas iguais as que o Axl costumava ter antes de dar a merda toda, enquanto não tenho vou imitando ele no solo de “knockin on heaven’s door”. Amando.
Até que você perceba que são cinco da manhã já se passaram mais umas três horas e ninguém disse nada e você não consegue ouvir mais nada. Fui para casa cambaleando e juro que vi a Winona Rider comprando uma pizza, mas eram cinco da manhã!
Deixei o tigre no banheiro e fui dormir.
Quando acordei vomitei tudo duas vezes, deitei no chão do banheiro , perto da privada, em cima do tapetinho do banheiro. O tigre lambeu o meu rosto e o filhote de chimpanzé deitou comigo.
Dei um sorriso sujo de vômito e dor de estomago.

It’s good to be back!

19 comments:

Lipe said...

"as pessoas só te amam quando você é um bêbado, uma puta ou todas essas coisas juntas sabe? "
as vezes tenho essa sensação tb!!
é péssimo...
eultimamente ando fazendo isso
kkkkk
=x

hpaulista said...

oi, bruno!!
Seu post me fez pensar.
Não sei se vale a pena acreditar que as pessoas sabem exatamente o que querem. Às vezes eu penso que elas querem aquilo que outras pessoas querem que elas queiram, e vice-versa; tipo um jogo nojento e mentiroso. Sabe por que? Porque no fundo as pessoas têm medo daquilo que elas realmente querem. Pode parecer clichê, e é! Mas como diria o Pasquale: "é isso!".
abração pra vc, bruno :)

Marcel PH said...

Cada um saber o que quer no momento e é isso o que vale.

Emmanuel said...

Seu pessimismo é extenuante às vezes, sabia? Um pessimismo gratuito, como que se tivesse a necessidade de ser pessimista por achar interessante ser pessimista. Bem. Não é interessante. É pernóstico tbm. Acredito que deva haver aí um certo limite, e acompanhando seus textos como eu tenho acompanhado, percebo aliás que muitas vezes o pessimismo é escolhido como recurso lingüistico no seu texto. É bem padrão já.
Eu realmente não sei pq sua vida "adulta" é tão frustrante e deprimente. Pelo menos é como vc a faz parecer. Sabe...as maiores frustrações que tive na vida, tive só agora, nos últimos anos de minha vida. Mas não trocaria por nada nesse mundo a realidade cruel, porém viva, sexual e apaixonante do mundo adulto, pelas bobagens despreocupadas da adolescência. Vc fala com tanta nostalgia, realmente parece querer voltar atrás. Eu lembro de tudo com muita ternura tbm, mas se eu pudesse voltar, eu definitivamente não voltaria.

MOVE ON!

xoxo

Tom said...

Já vi que tenho que começar a beber e a fumar...

Cocada.g said...

É cara se você estiver certo ninguem me ama nesse mundo! Não bebo e nem sou puto e nem todas as outras coisas juntas! Mas cá acolá consigo encontrar alguem que se pareça comigo e criar uma mínima amizade! Melhor que nada, não é mesmo?
Admiro vc conseguir viver com seu pessimismo (pelo menos passa essa ideia). Eu sou altamente pessimista mas tento me controlar, ameaço até a sorrir de piadas banais em rodinhas de amigos aparentes! Grande avanço pra mim!

abração amigo, obrigado pela passagem lá no blog!

Gabriela said...

adoro teu jeito realista...

Luix said...

Vc é o melhor amigo dela Bruno. Até brincam de telefone sem fio usando privadas. : )

thiago said...
This comment has been removed by the author.
thiago said...
This comment has been removed by the author.
thiago said...

Halo, Halo, Halo! Só fumo quando a tristeza vem, ou seja, quando percebo que tou triste, mas já procuro a felicidade. Só bebo para esquecer a semana cão que tive, mas que sem ela não seria possível pagar a conta da internet, daí ninguém estaria lendo esse texto. Na verdade, bebemos para nos sentir mais “nós”. Sabe quando Bruno é Bruno na ressaca moral, no ápice da madrugada e nas confissões de mesa? Ele é Bruno porque, no outro dia, sabe que fez a merda de beber muito, mas que a mesma merda deu tanto prazer quanto qualquer sexo escatológico sem dobradinha.

Não tem nada mais normal e superior – pra mim, ser superior é normal, sou leonino – do que acharmos pessoas idiotas, sem conteúdo ou com pensamentos imaturos (ou alguém incrível que visitou a Europa e teve aventuras mil, que no final acaba sendo inferior também, porque as aventuras não foram com a gente). Sabe por quê? Porque a gente vive muito mais que isso. Vivemos a alegria de sentir a tristeza e tentar mudar os nossos dias. Sentimos a necessidade de reclamar, xingar, apontar e dizer que fulano é o maior cuzão porque não aproveitou a oportunidade de encher a cara, falar besteiras e vomitar o vinho de 7 dinheiros.

Eu sei tudo isso, e vivo, e sinto, porque sempre quis ser meio poeta e entender um pouco da vida terráquea. E daí? Fiquei frustrado por ainda não lançar um livro falando do cabelo da morena do ônibus que tem a essência do amor burguês? Sei lá, eu. Só sei que reclamo da vida, feito Bruno, e gosto muito da insatisfação que tenho.
(...) E, para vocês que reclamam da reclamação: é completamente paradoxal, não acham?

Ps: Milhouse, tu tá foda. Eu só consigo levantar minha xícara de café-da-manhã-tarde-madrugada.

Eu sou o “Thiago sabe ser inteligente” do texto.

Ella_ said...

Bru
fazia tempo que nao entrava aqui,
e nem sei pq...
só sei q essa nova fase, com pessimismos, corações partidos e td o resto tá sendo simplesmente incrível!!!!!

e ainda supero a Courtney!
rs

;*´s
sexta é nós!

um cara legal... said...

you´re my best fried...

Extase said...

Verdaeiro e surreal

Diego J. Salaroli said...

o realismo é uma das coisas mais lindax em um ser humano >>>
perfeito o post >>
abraços

O Pequeno Diabo said...

Orgulho de vc!

acho bonito beber assim!
hahahahaha

e concordo, todo mundo qd acende o cigarro esta dizendo 'ei, preciso de amigos!'

xx

Arsênico said...

Absolutamente... Eu fumo... E nunca me faltaram amigos verdadeiros... porque eu quero os verdadeiros... "amigos" que batem nas sua costas e vc paga a conta deles... desse tipo eu não preciso...

Acho que viemos nessa vida pra enfiar o pé na jaca e sair cantando Leonardo...

Viva a cachaça... e os amigos(verdadeiros)...

***

umBeijo!

um cara legal... said...

gtemistas semi gaúchos? auauauh

babiih said...

bem minha essa sua realidade.
[só que costumo vomitar antes de dormir]