Monday, June 15, 2009

Xadrez em junho

Seria risivél, hilário, para qualquer gaucho, siberiano, ou mesmo algum cidadão de Caruaru a minha tentativa frustrada de usar um casaco. Eu amo o frio, até porque, nessa porra dessa cidade faz calor mesmo quando está chovendo. Esses últimos dias têm sido frios e nublados, mas eu imagino que um gaúcho chegue aqui, tire a camisa e faça um churrasco.

Quando eu acordei, parecia que não tinha amanhecido. O dia estava escuro, o céu estava cinza desenhosdoLuiz, e eu estava amando. Logo que precisei sair, peguei o meu casaco grunge que ganhei da Carol e fui para o mundo. Eu era, aparentemente, a única pessoa que estava com frio, ninguém mais usava casaco.

O fato é que eu ganhei um casaco Lindo da Carol, ele é meio grunge, um desses que ficariam super bem com um skate e um cabelo ensebado, mas não foi o caso.
E lá está o único cara de casaco grunge em pelo menos 20 anos, mãos nos bolsos e a palavra “POSER” flutuando por cima dos seus cabelos desgrenhados.

A melhor coisa para se fazer num dia como esses é pegar um ônibus para qualquer lugar e ver como o mundo está cinza. As pessoas parecem mais calmas, mais bonitas, mais relaxadas. Acho que o sol daqui atrapalha tanto...

Uma das coisas que aprendi na minha viagem de ônibus é que está tudo bem em não amar ninguém desde que você se ocupe. Eu não amo, não me apaixono, não me empolgo por nada, nem ninguém há um bom tempo agora. Já nem sei te dizer. Mas está tudo bem porque eu trabalho e ganho dinheiro e finjo ter uma vida normal.

O problema é não sentir nada.

Eu não sinto nada há anos. Eu não me apaixono, nem me empolgo como disse antes. POR NADA, NEM NINGUÉM. Então, quando você acha que está apaixonado você realmente se segura nesse sentimento com todas as suas forças, porque amar alguém é menos mal do que o vazio que eu sinto e que não me move a lugar nenhum. “Amar” [que fique bem claro que está entre aspas] pelo menos te faz acordar no dia seguinte sem querer dormir de novo por mais uns dois meses, e não finjam que nunca aconteceu com vocês.

E eu cheguei a conclusão de que eu nunca amei ninguém como eu amo o Luiz, que eu amo mais do que Paris Hilton ama ela mesma. Eu nunca amei ninguém no sentido de querer casar. Eu não sei o que é isso, até porque nunca fui correspondido, então não está valendo.

O problema todo está nos filmes de comédia romântica, nos livros de literatura antigos e nas histórias de contos de fada. Ninguém escreveu “Era uma vez uma linda princesa, um dia ela arrumou um emprego, comprou um sapatinho de cristal Prada e viveu feliz da vida, conheceu um homem, mas ele não ligou no dia seguinte. Ela foi trabalhar e pensou “que otário, ao menos eu tenho um sapato incrível e ela viveu feliz por mais uns dois meses”.

Você realmente não precisa de ninguém quando está comendo sushis com os seus melhores amigos. Não precisa mesmo.

Você não precisa de ninguém te criticando, ou falando que você não é bom o bastante, ou apertando a porra da sua barriga. Não mesmo.

Então eu tenho um violão e posso cantar versões acústicas de musicas pop idiotas e achar que eu sou bom nisso e sonhar que um dia eu vou ser um cantor conhecido.

Eu não vou precisar de ninguém quando tiver uma bunda redondinha.

Eu não preciso de ninguém que precise de ninguém. Eu não preciso de alguém que precise de pessoas para se provar.

Talvez eu não ache ninguém.

Sexo é fácil se você quiser e tem sido pra mim. Eu posso viver fazendo sexo de dois em dois meses quando a coisa fica louca e eu preciso da coisa real. Enquanto não me dá a loucura eu escrevo, me masturbo e faço bolos maravilhosos.

Você só pode ter alguém quando isso não é necessário.

Você só pode ter alguém quando você não enlouquecer por isso.

Eu tenho uma porra de um vazio que ninguém vai preencher, então eu vou ficar louco se tiver alguém porque eu vou achar que esse alguém é a solução para a minha vida parada e sem graça.

Sem norte, sem destino, cheguei no meu ponto, desci e andei sem direção pensando na vida. Só voltei pra casa quando percebi que o meu casaco é xadrez em junho.



Me siga no twitter: www.twitter.com/bruno_vasco

27 comments:

Paulo Braccini said...

perfeito e sensível meu caro amigo ... quero provar destes bolos maravilhosos ... sou fissuradão em bolos ... rs ...

bjão

;-)

Henrique Monteiro Alive said...

Eu estava lendo teu texto e monte de coisa foi me vindo à cabeça para dizer, mas aí no final eu vi o recado de me siga no twitter e broxei o pensamento.
Sério, twitter não dá futuro.

Sobre fazer bolos, na frase isso está depois da masturbação. Então, caso for me oferecer um pedaço, espero que lave bem as mãos antes de fazê-lo. :)

Mauri Boffil said...

ja vou te seguir no twister...
uau... mas nem procuro mais homens, e nem sexo... meu vibrador tem me satisfeito.

Gato de Cheshire said...

É.. Se apaixonar é preciso.... E n precisa nem ser por uma pessoa.. Pode ser qq coisa.. Um trabalho, um projeto, uma facul.. Qq coisa que te motive qdo acordar, que te de um norte pra que n ande sem direção... Ainda que vá na direção contraria dele, ter um norte é preciso...
Impreciso e perigoso é andar por andar e acabar caindo em qq lugar

Edu e Mau said...

Não existem fórmulas conscientes para o amor. Ele acontece, esteja você precisando de alguém ou não. Ele não acontece, esteja você precisando dele ou não. Mas o que parece certo é: você precisa estar na chuva pra se molhar.

V. Martins said...

Eu bem que queria ter mais casacos grunges. Os meus nunca dão conta. Aqui faz frio demais .-.

Hm, acgo que ninguém nasceu pra ficar totalmente sozinho. Faz parte da vida encontrar o "alguém", sabe?
Claro que existem aqueles que procuram a vida inteira e só se ferram. Existem também os que antes de procurar, saem experimentando todos. E isso piora as coisas. Mas o "alguém" aparece sempre quando você pára de procurar. Porque isso Não pode ser um acontecimento qualquer. Ele tem que ser mágico, sei lá *-*

Pode parecer meio sentimental demais. Fantasioso demais. Fada dos dentes demais. Mas comigo aconteceu, até hoje eu ando meio abobalhado.
Quando você menos esperar, o seu alguém vai aparecer pra preencher o seu vazio. No bom sentido é claro. Você só precisa acreditar.

V. Martins said...

Btw, tô te seguindo no Twitter (:

Matheus Macedo [мм] said...

Eu aqui morrendo congelado, indo para o meu colégio integral ás 6 da manhã num frio de rachar em São José dos Campos, obrigado a deixar minha cama com 2 edredons para meu caminho diário até o ponto de ônibus.

E o pior, sendo obrigado a usar a calça horrosa de tac-tel do uniforme se quero ficar estável.

Eu que já tenho bundão odeio essa calça.

Congelo.

Mas uso a bermuda.

Tanta Coisa! said...

Eu to quse achando normal não ter ninguém no univrso inteiro que te de realmente vontade de estar, dia a dia, com esta pessoa, quase. Aqui faz frio hoje e eu acho isto bom. Bj

Cais da Língua said...

saudade tb bruninho!!!!
qqer coisa...fifiroy@hotmail.com
depois apaga

Gay Alpha said...

Clap, clap, clap!!!
Arrasando como sempre!!!
E com certeza... sou gaucho e faria um churras pra ti... sem camisa, claro... hehehehe!!!
E tens razão: Logan é TUDO!!! Mas deixa ele só pra nós, né?
Hugz!!!!
Te mandei o e-mail contando várias coisas mas não tive resposta. Tu recebeu? Ou recebeu e odiou? Hehehe!

Gorki said...

Mizera, Bruno! Você escreve incrivelmente bem! Já fez o vestibular pra Letras?

Amar não é ruim. Acho que ruim é ter que "desamar" depois. Eu sou um cretino que enlouquece quando acha alguém.

=/

Gabriela said...

Eu adoro a forma como vc se expressa, e acredite "Eu tenho uma porra de um vazio que ninguém vai preencher"...(eu tbm)será q passa um dia?
bjos, bjos ótimo seu texto.

Thiago Laurent. said...

Muito bom o texto...
Adoro frio e dias cinzas, e cara, tenho 15 anos e não estou apaixonado por ninguém, não tô amando ningué, paquerando ninguém, não quero absolutamente NADA com ninguém... isso é normal? HAHA

Tô te seguindo aqui e no twitter... té mais...

Santos said...

O clima aqui é realmente caloroso, pena que isto não se repete em outras coisas... Mas algo que me deixa impressionado é quando vou almoçar e encontro com pessoas às 12h em ponto desfilando com suas camisas pretas de manga comprida e seus lenços no pescoço enquanto eu chego em uma camisa branca tentando me caber sob as sombras das casas e transpirando até a ultima molécula de H2O.
Quanto aos desencontros ou não encontros, gosto de me preservar o mais infantil possível e crer que algum dia finalmente encontre o X do mapa, mesmo tendo que voltar algumas casas, passar a vez, ficar algumas rodadas sem jogar e outros percalços...

Abraços!!!

Paulo said...

serio adoro o frio meu, aqui em vitoria tudo fica lindo em junho, todas as pessoas saem de casa com seus casacos cafonas e eu com o meu lindo e maravilho, as flores desabrocham, os passaros cantam, o vento é gelado, até os mendigos são felizes em junho *-* (como?) KSPOKSAOP'

Ah, e obrigado por me mergulhar de novo na depressão que eu passei dias tentando sair, é que eu ainda procuro alguém... acho que devo ser o unico idiota que precisa da aprovação alheia :S
Coisa de capricorniano, acho ¬¬

Mas em, um abraço ae \o/

Râzi said...

Sabe, eu acho que vc é uma das pessoas que consegue escrever com mais sentimento, querido!

Eu estou no Macapá hoje... e vejo o que vc quer dizer quando fala da von tade de vestir um casado!

No Rio, pelo menos, umas poucas semanas, a gente consegue!

Quanto ao amor, querido, aguarde. A vida tem muito o que oferecer. E vc ainda vai achar a vida melhor!

Beiijão!

Cain Sodom said...

Hello, ácidez em vida! Hehehe (Adoru). Vc está convidado a participar do Selo Playlist. E não faça desfeita! Quero ver esse gostho musical!

Philip Rangel said...

Tmb concordo..ninguem se faz ou fica sozinho nascemos pra sempre ter algume acompanhado...em todas as epocas e sentidos....

qndo apaixonamos é normal esse sentimento bobo mas real....

acreditar sempre e nao desistir jamais....

^^

Natália Coelho said...

"e não finjam que nunca aconteceu com vocês."

Não fingirei, meu caro.
Me identifiquei em todas as linhas deste texto.
Não sei o que é pior, amar e pensar que isso é toda a razão de nossa existência, não amar e acordar com aquele buraco imenso, uma falta de sentido, uma monotonia ingrata, ou conhecer seres que precisam de outro pra se provar.

Confesso, estão aí três coisas da qual eu não gosto.
Seria clichê se eu dissesse que amar é a "menos" pior?

Quanto a blusa de frio quando não está de fato frio. Aff, mais que comum aqui em BH. A temperatura cai dois graus e todo mundo já tira casaco,luvas(luvas???pqp!), cachecol e etctera.Pelo menos ficam elegantes.


Abraços

Cais da Língua said...

Voltei viu Bruninho?!
abraço

Juliana said...

Oii. Tudo bem?

Então, queria divulgar meu novo blog que eh direcionado
para os guris[nãao nada contra as gurias].
Mas eh que o objetivo do blog eh tirar as dúvidas/curiosidades
dos guris em relação as gurias.
Entendeu? :D

Espero que participe tbm'
Beeijo'

Juh.

RP said...

Como um bom ariano... senti vontade de te abraçar... :)

Paulo Braccini said...

eu quero comer destes bolos deliciosos ...

Paulo Braccini said...

ah esqueci! este layout do blog ficou show ... parabéns ...

;-)

Pimenta said...

Bolo,bolo,se você bate um bolinho no mesmo ritmo em que se masturba,vai me sobrar um pedacinho né?Com creme please rsrsrs
Desculpa não aguentei a associação!
Texto ótimo.
E você não vai conseguir passar a vida na solidão, sem encontrar teu par.IMPOSSÍVEL.
Um dia vem, e te pega de jeito.

Beto said...

Um dia eu eu ainda me caso com vc!!!
quando leio o que voce escreve acabo tendo pensamentos pecaminosos...
hehehe!!!
Um dia eu acho que vou te convidar a escrever um texto pra mim você toparia??? sério mesmo!!!