Saturday, October 11, 2008

Almofada marrom.

Estou vacilando e pensando em você e ficando louco. Ontem sonhei com uma maquininha que me dizia com voz de robô que você está internado no hospital porque caiu de uma caixa de ar condicionado e teve fraturas.
Eu me lembro das coisas boas, mas logo percebo que as tuas coisas boas só eram boas de verdade quando eu omitia as enormes coisas ruins. Eu tentei mudar por você mas não pude, e como diria Samantha em Sex and The city “Eu te amo, mas eu me amo muito mais”.
Ontem ainda, num arroubo de egoísmo, não consegui ficar feliz pelos outros, mesmo sabendo que precisava, e criei uma teoria conspiratória do mundo contra mim e precisei beber. Eu precisei de bebidas que deixassem o meu mundo igual a um clipe do Mika. Fiz Daphne sair de casa, bonita e elegante e com brilhos. Sempre.
Falei pra Daphne que gostaria muito de ser uma daquelas pessoas que descobrem que plantar orquídeas, por exemplo, as realiza. Daphne me narrou o triste caso de um homem que certa vez descobriu que sua vocação era fazer sushis. Desisti de querer ser essas pessoas.
Depois disso, decidimos que vamos fazer quando ficarmos velhos. Decidimos não ficar velhos, apesar de que ambos adoramos coroas, mas achamos que não vai cair muito bem na gente.
Não posso mais beber que faço merda. Fico dando em cima de qualquer um e andando por ai sem destino e sem medo de morrer.
Realmente odiamos pessoas que precisam constantemente provar algum ponto, enquanto eu e Daphne falávamos alegremente sobre picas e Chers, algumas pessoas teorizavam o suicídio.
Porque as pessoas nunca tem senso de humor? E nunca viram a Sarah Silverman e nunca a entenderam?
Tédio.
Daphne me dá bebidinhas para irmos a boate de pobre mais tarde.
Então guess what? Eu não estou tão sóbrio e são assim! Graças a Deus eu não vou ser um chato, autor de livros de auto ajuda quando eu tiver 40 anos [imaginem-me de gola rolê, popularmente conhecida como gola fimose, e óculos de aro grosso com um sorriso de desdém na contra capa do meu livro, que ensina pessoas mal amadas a se enganaram por um pouco mais de tempo].
Então eu não quero ninguém do meu lado, a não ser amigos, alcoóis de vez em quando e um pequeno pônei com crina dourada e arco-íris e nuvens de algodão doce.
O álcool ameniza, mas tudo volta uma hora em uma musiquinha infernal que fica se repetindo na sua cabeça e é mais ou menos assim:

Você é um porco egoísta
Que está ficando careca e gordo
E vai morrer sozinho
Lá lá lá


[em ritmo de musica infantil]

Daphne viu um menino olhando pra ela insistentemente e desistimos de ir para a boate, preferimos voltar pra casa e nos transformarmos em entediantes almofadas marrons, que nada tem a fazer quanto ao fato de serem marrons e sem graça a não ser dizer “Bem... Ao menos eu tentei”.

Volto pra casa, deito na cama e penso “Ao menos eu tentei, e foi bom”.

14 comments:

Diego Martins said...

Brunão, meu querido, texto excelente!!! Sempre cheio de idéias. Mas ó, que tu consiga ter boas idéias e achar melhor solução ao seu caminho a trilhar =)

abrass!

Alan... said...

Rapaz, seus textos são tão bons, tão desconcertantes.... Não sei nem o que devo comentar.... É tudo muito visceral. Adoro!

Abs!

Cais da Língua said...

Rpz
Vc descreveu uma época de minha vidaaaa

Jarbas said...

antes de qualquer coisa devo dizer que adoro sarah silverman...

pensando sobre o cara do sushi, eu fiquei com medo, porque sempre achei que eu deveria me tornar que eu realmente, e se eu for um desuntupidor de pias?

enfim... estava me sentindo orfão sem seus texto.

abraços.

Não Somos Apenas Rostinhos Bonitos said...

Excelente texto mesmo!

Gê Stelmach said...

Grande Samantha, bem que gostaria de ser como ela. Mas, o álcool e um bom cigarro sempre são nossos amigos momentâneos, o problema é que quando o efeito de "ecstasy" passa, volta tudo em dobro, infelizmente. Mas, ótimo texto, assim como os demais posts, irei favoritá-lo. Beijos, meu bem.

danielleribeiro said...

menino, preciso te roubar aqui pra perto pra gente dominar o mundo!!!

me sinto mega feliz de ter achado voce e teus olhares-textos...

um dia, tenho que bebericar com voce e me arriscar a morrer quando disser pra alguem na rua "sua gola de rôla foi dar um rolê!"

um beijo querido!!!!

Extase said...

bem, gostei do texto, enen querosaber se ele é real...

Thiago Gagante said...

É bruno, eu li esse seu texto e me imaginei escrevendo. Por falar em sexy & the city, imaginei eu sendo a Ceriie e escrevendo aparecendo minha ultima palavara na tela do computador. Huahuahuahua
Acho que me encontro numa fase parecida com essa do seu texto, por isso me identifiquei.
E ahhh, eu tb não posso beber quie só faço merda!

: )

Tanta Coisa! said...

Oi Querido, será que é pretensão a gente se achar assim tão por fora de tudo? Mas quem quer ser incluído nesta babaquice loira que domina o mundo? Que se foda! Adoro isto aqui (Blog). Bjs

Pedro said...

O importante é continuar tentando meu querido, eu continuo sempre, todo fim de semana, as vezes viro almofada marrom, ás vezes coração de pelúcia...

Concordo com todos, seus textos são únicos...

Abç!

Uillow said...

"And I try, and I try, and I try"...
Essa é a trilha sonora de muita gente... o que não pode é cansar de tentar, pq aí a vida perde a graça! :¬)

Abração!

dofialho said...

“Eu te amo, mas eu me amo muito mais”
That's all.

Râzi said...

Bom, Bruno... a questão é que tem situações que não temos como evitar... assim só nos resta viver e aguentar.

Quando acharmos que não temos mais como aguentar, já passou.

Beijão!