Thursday, September 25, 2008

Biscoitos sujos.

Na primeira fileira do ônibus a moça gordinha comia biscoitos tirando-os um a um do pacote com um guardanapo. No lado oposto, o moço pernudo que era personal trainer assistia chocado a cena. Não conseguia entender como uma pessoa supostamente teria nojo das próprias mãos e nem por que alguém comeria tão devagar.
Ela mastigava em média 28 vezes um único biscoito. Ele fez a conta. Logo depois do quarto biscoito com guardanapo ele não pôde evitar o pensamento dela se masturbando com uma luva cirúrgica. Logo tirou o pensamento da cabeça e começou a contar quantas vezes ela mastigaria o outro biscoito. Havia algo de erótico naquilo. As mandíbulas da gordinha se mexiam devagar, seus olhos fitavam a nuca do passageiro da frente como se ela estivesse na verdade o comendo.
O pau dele começou a ficar duro ele a ficar desesperado. Ela pegou mais um biscoito e uma gota de suor começou a escorrer pelo seu rosto. Tinha vontade de acabar com aquela higiene toda gozando na cara dela! Começou a sentir uma vontade filha da puta de bater uma punheta ali mesmo. Se segurou.
19, 20, 21, 22, 23... Ela mastigava devagar, a essas alturas ele já estava tremendo. Imaginava ela sentada em cima dele, mexendo devagar e olhando para o nada, usando apenas luvas cirúrgicas. Algo nessa loucura toda deixava ele louco.
Os biscoitos se seguiram e ele continuou imaginando cada vez mais loucuras. Queria bater nela, puxar o cabelo dela, xingá-la, tudo para acabar com aquela pose de princesa que ninguém poderia ter dentro de um ônibus.
Ia se levantar e bater na cara dela. Soltaria os cabelos dela, daria um puxão e a beijaria. Depois colocaria o pau pra fora e a faria chupá-lo ali mesmo, na frente de todo mundo. Estava decidido. Estava criando forças. Uma mulher do seu lado começou a notar que havia algo errado.
O pau dele estava mais duro do que uma pedra. Ele ia bater na cara dela com aquele pau duro e ia chamar ela de vadia e ela ia pedir mais.
Foi quando de repente ela amassou o pacote de biscoitos e jogou pela janela do ônibus, levantou-se e desceu.
“Vadia” ele pensou “Jogou o papel pela janela”.

11 comments:

Jarbas said...

vaca... tinha que levar surra de pau mole para aprender não jogar lixo no chão. hunf!

Beto said...

ADOREI!!!
GORDINHA VADIIIAA!!!
HAHAHHA!!!

Ígor Andrade said...

rsrs
Quando escrevo bêbado fico prolixo. Perco a essência.
Abraço!

' arcano said...

Voce me divertiu! Adorei *-*

MANS / ANDRÉ said...

a gordinha acertou em comer com guardanapos mas errou feio jogando o papel pela janela

vaca

Davi Arloy said...

HAHAHA
ADOREI GENTE!
TIRANDO A PARTE DA HETEROSEXUALIDADE.

Até!

Liz / Falando de tudo! said...

adorei! uma estoria curta, que nos prende sem precisar de um final correto pra ter sido um momento prazeroso!

Tanta Coisa! said...

rsrs... Boa! Bjs

Zek said...

Vixe que porca !!!!!!!!!!! mas a´quem nunca desobedeceu a mâe e comeu com as mãos sujas , sera que fui o unico ??

danielleribeiro said...

pois é, quem nunca levou com um pau duro na cara jamais sabera onde jogar seu pacote de biscoitos. muitos textos bons, meu caro, muitoas passeios interessantes...

Pedro said...

kakakakakka hilário!!!!