Thursday, October 25, 2007

O ultimo fora que eu levei. [director`s cut]

Resolvi ligar pra ele e dizer que estava com saudades e que a gente poderia resolver tudo e que nós poderíamos ser felizes para sempre e que eu queria ele de volta. Enchi um copo de whisky, puro, sem gelo, sem frescuras... do jeito que eu queria que fosse minha conversa com ele.
Tuuuu...
Alô, olha, eu queria falar com você, sim, sim, sobre nós, eu estou com saudades...
Daí ele para... respira fundo duas vezes... uma, duas... Ele emite um gemido antes de dizer uma coisa, como se realmente estivesse pensando antes de falar. “aaahh, olha”. De repente tenho a impressão de já vi tudo isso antes.
Na minha cabeça eu estou dentro de um trem que está colidindo com outro trem em câmera lenta [só eu percebo que está tudo em câmera lenta]. Pessoas em pânico gritam, estilhaços voam para todos os lados, um pedaço de metal corta a garganta do velho na minha frente. Daí ele me diz
“Eu estou muito confuso nesse momento”. Paro de escutar. Estou mais entretido com o acidente de trem na minha cabeça.
Uma mãe tenta proteger a filha que chora, uma mulher reza. A medida que o trem avança, mais destroços e mais sangue. Uma perna inteira toda ensangüentada cai do meu lado. A carne mole pendendo de um dos lados, um grito de dor, minha roupa novinha está toda suja de sangue.
“Eu, tenho meu trabalho, minhas coisas, eu não poderia me dedicar a um relacionamento agora”.
Agora eu estou sangrando. Muito. Olho pra mim mesmo e me acho patético. Eu estou sangrando. De repente começo a rir, ninguém entende nada. É só isso, não dá mais e pronto.
“me desculpa”. Ele pede desculpas. Eu acho que eu morri.
Não me peça desculpas você não fez nada. Estou aqui, sangrando, morrendo, rindo e bebendo whisky puro, sem gelo e sem frescuras, como eu gostaria que você pudesse ter sido, mas você foi só mais um bundão na minha vida, mais um que teve medo, mais um que não soube arriscar porque podia perder, eu aposto todas as minhas fichas e perco sempre, mas assim que eu me recupero, aposto tudo de novo. Mais um que me pede desculpas. Por favor, não me peça desculpas. Me deixe odiar você e seja um jackass total, me diga que não me suportou em nenhum momento [o trem explode, as poucas pessoas que sobreviveram ficaram presas na ferragem].
Tudo correu bem. Entre mortos e feridos alguns sobraram. Eu sobrei, vivinho da silva! Corte profundo, cicatriz pra sempre, quem sabe uma seqüela, mas eles dizem que eu vou ficar bem.
Encho mais um copo de whisky e viro. Depois taco o copo no chão. Limpo tudo, pego com a mão, só pra sentir alguma coisa passando na veia. Ponho o interpol pra tocar, apago a luz e choro.
Eu disse pra ele que estava tudo bem.

6 comments:

Jackson Jr. said...

toca aqui, amigo! somos dois a dar murros em pontas de faca.

[ Jarbas ] said...

uau!

pra falar a verdade nem a coragem para ligar eu teria.
enfim

adorei o blog.

abraços.

Guepardo said...

Também odeio que me peçam desculpas pelo fim de um relacionamento. Soa mesmo ridículo: "Desculpa por não te amar".

R.Željko said...

Sangue e morte em uma quarta-feira....é engraçado quando passa um tornado no meio da sala, dentro da sua cabeça e depois de tudo e depois de desculpa... sua mãe bate na porta do quarto e diz " seu sanduiche esta pronto".

A vida continua,seu sangue sequer tocou o chão.
Na verdade mesmo, você é obrigado a entender isso.

Gustavo said...

Nossa que post foi esse!
Fiquei "Treje" rsrs.

Mas pode somar mais um contigo... eusin aqui!
Se bem que com vc o cara ainda atendeu o telefone e ate explicou algo que nem precisava de tanta explicação.

Enquanto eu aqui ja levei dois tapas na cara que nem ao menos existiram hahahhaha(em menos de 1 mês)
Vc liga, liga, liga... corre atras, faz papel de besta e depois... Hã a pessoa some, aquele telefone que ela tinha seu parece sumir do celular, o seu e-mail parece que nunca existiu ou mesmo seu msn. O nome então, se deixar vai parecer que nunca conheceu tal fulano!

Mas gostei muito do que vc escreveu
E como ja disseram nos coments, é sempre assim depois vc se tranca no quarto dá aquela aliviada na alma, mas depois a vida continua!

Até que vc encontre alguém que lembre seu numero e retorne a ligação, que tenha seu e-mail e converse com vc e o melhor de tudo que lembre seu nome.

Bju Bju Gus

Alberto Pereira Jr. said...

lendo sua história pareceu q revivi o fim do meu namoro.. com algumas diferenças..
qdo ele terminou e me pediu desculpas por terminar comigo eu fiquei inerte.. só olhando pra ele.. não pedi pra ficar comigo.. não pedi pra voltarmos.. simplesmente fiquei quieto.. e me despedi..


mas mesmo assim ainda dói..